Buscapé

http://links.lomadee.com/ls/Mk5KNDt4cUtUTGNTejsyNzgzNjY0OTswOzE3NjszMzU5OTQ4NjswO0JSOzM7OzA-.html

Facebook

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Rosas de Ouro



“Convivium. Sente-se à mesa e saboreie”


Compositores: Aquiles da Vila, Guiga Oliveira, Fabiano Sorriso, JC Castilho, Marcus Boldrini, Salgado Luz, Rapha SP e Vaguinho
Interprete: Royce do Cavaco




Vem saborear
Vamos brindar um novo dia
A Roseira põe a mesa pra você
Eu quero ver um banquete de alegria

O tempo vem nos ensinar
Que a vida é pra celebrar
Viver em união e harmonia
Ser é a razão de existir
Amar é um dom
Um fruto a colher
Ver a natureza sorrir
Desfrutar da amizade
Momento de grande prazer
Essencial pra se conviver

Aráayé a je nbo
Olubajé a je nbo
E uma porção de fé
Não importa a religião
Salve Cosme e Damião

Lindas crianças a comemorar
Eterna lembrança, uma vela a soprar
No calor do braseiro a doce ilusão
Acende a fogueira do meu coração
Um brilho no olhar, sagrada aliança
O sino a tocar, traduz a esperança
E semear o nosso pão de cada dia
Com uma pitada de amor
Para a miséria acabar
Somos irmãos em comunhão
 
 
Análise do Samba

O samba de 2017 da escola de samba Sociedade Rosas de Ouro foi o primeiro que conheci na versão oficial do CD e logo na primeira vez que ouvi me apaixonei pelo samba que realmente é muito bom e traz uma das melhores fusões de melodia e interpretação no ano.

Aqui neste mesmo blog o samba do ano passado da Rosas de Ouro foi a última colocada e sinceramente foi um samba que não agradou alguns sambistas e amantes do carnaval e haviam outros que gostaram, mas não classificava entre os melhores, mas agora o jogo virou e muitos sambistas e amantes do carnaval a classificam como o grande favorito ou um dos favoritos.

Nesse ano a escola terá como tema grandes banquetes, seja eles da Antiguidade como no Egito e Grécia e banquetes nos tempos atuais como ceia de Natal e festa de aniversário. Para quem leu a sinopse deve ter se impressionado com o tamanho dela e da riqueza de detalhes que nela tem, pois nem eu imaginava o quão é importante os banquetes na história da humanidade. Eu disse em uma das análises que a longa sinopse até ajudou a contar a história na letra do samba, mas neste caso a longa sinopse não deixou a letra 100% adequada ao roteiro, mas chegou bem perto.

Sobre a letra do samba eu fiquei encantado logo na primeira vez que ouvi, mas por possuir uma melodia e interpretação perfeita e muito bem casada quase que não percebi um pequeno ponto na primeira estrofe que achei um pouco clichê e com versos que ora parecem dizer a mesma coisa com palavras diferentes e sentidos diferentes. Os dois refrões achei criativos e casou bem com a melodia. O samba fecha com a sua segunda estrofe bem coesa, traduzindo melhor trechos da sinopse.

Sobre a melodia é uma das que mais me agradaram no CD de sambas enredo, pois não é cansativa para cantar junto e o que ficou ainda perfeito foi a interpretação de Royce do Cavaco que soube muito bem exercer o seu dom e após tantos anos no carnaval ele ainda dá um show e aliás ele voltou para a Rosas de Ouro que foi a escola de samba que ele tornou-se nacionalmente conhecido.



terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Acadêmicos do Tucuruvi



“Eu sou a arte: Meu palco é a rua”


Compositores: Carlos Jr, Fabiano Sorriso, Marcio André, Marcos Vinicius, Wellington da Padaria, Beto Rocha e Biel
Interprete: Alex Soares




Modéstia à parte sou exemplo de união.
Trago da alma minha própria tradução.
Eu vou me emocionar, ao ver você aplaudir,
“É nóis”, Tucuruvi!

Eu vou revelar
A minha história de inspiração.
O homem desenhou na pedra
Sua forma de expressão.
O tempo traz no vento a poesia,
No Olimpo a chama acendeu.
Peças teatrais, cenas visuais,
Uma sociedade alternativa
Desabafa em calçadas marginais.

Desafiei reinos e leis,
Pro desespero do burguês.
O saltimbanco a debochar,
Fez o nobre enlouquecer,
Todo povo gargalhar!

Nas esquinas me transformei,
Cantei e dancei pelo mundo.
Sou uma voz a gritar, Hip Hop no ar,
Herança dos guetos.
Aqui em "Sampa", a “caminhada” continua,
Nas quebradas, pelas ruas,
Traços coloridos, mentes geniais!
Sou luz que ilumina a cidade,
Estrela da comunidade,
Presença imortal, no palco do meu carnaval! 
 
 
Análise do Samba

A escola de samba Acadêmicos do Tucuruvi em seus últimos carnavais trouxe bons sambas, mas havia algo que chamava a atenção entre os sambistas e amantes do carnaval paulistano que era dizer que falta fazia Freddy Vianna nos vocais da escola, pois ele ficou de 2001 até 2011 quando a escola foi vice-campeã. Após sua saída a escola trouxe nada mais que cinco interpretes para ser o interprete oficial e entre esses nomes teve Igor Sorriso que é um dos melhores do Brasil e que cantou Mazzaropi, sendo na minha opinião o melhor samba pós era Freddy Vianna. 

Eis que em 2016 apareceu Alex Soares e que foi bem cantando o samba sobre a religiosidade brasileira. Algumas pessoas não tinham dúvidas de que Alex tinha que continuar na escola e agregar uma continuidade na identidade vocal da Tucuruvi que era necessária. Enfim, isso não agrega em nada na minha análise do samba, mas era apenas uma observação que queria explanar. Avaliando Alex nesse samba de 2017 eu achei que ele conseguiu dar uma identificação a Acadêmicos do Tucuruvi interpretando bem o samba, mas há partes que vemos que talvez por culpa da melodia e de variações de versos longos e versos curtos ele precisa dar aquela respirada, inclusive eu quando estou cantando em casa, sobretudo no verso "A minha história de inspiração. / O homem desenhou na pedra / Sua forma de expressão".

Analisando a letra do samba ela faz jus a longa sinopse que li e eu acredito que a escola poderá tirar notas máximas na apuração oficial por ser uma das mais claras traduções de sinopse e roteiro de samba, porém eu gosto de analisar a criatividade, a poesia que a letra traz em alguns trechos como vemos na segunda estrofe que finaliza a seu roteiro com belos versos, mas não achei tão magnífica a primeira estrofe e o segundo refrão do samba. Tenho que elogiar o refrão principal que acredito que vai levantar o público e temos o verbo "aplaudir", sempre presente em alguns sambas, mas neste caso pelo enredo proposto era pontual a inserção deste verbo.




Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Nenê de Vila Matilde



“Coré Etuba. A ópera de todos os povos, terra de todas as gentes, Curitiba de todos os sonhos”


Compositores: Zé Paulo, Sandrinho, Luís Jorge, Vitão, Silas, Léo do Cavaco, Juninho e Kaska
Interprete: Agnaldo Amaral




Voar…por este imenso paraíso
que a natureza abençoou
A águia encontra a gralha azul
Lendas, histórias vem contar
entre azaleias, araucárias e ipês
A semente que plantou vai florescer
Índio lutou, seu chão cravou
pra afastar a coroa portuguesa
O bandeirante cobiça as trilhas do ouro
Cacique valente protege o tesouro

Negro chegou, nesse lugar
trazendo a fé lá do povo de Aruanda
O negro é rei, raiz verdadeira
Ajoelhou, rezou pra santa padroeira

Salve a miscigenação
Em cada sonho toma forma esse chão
Culturas cruzaram o mar
A esperança refletida no olhar
Desperta poty, vem ver a nossa arte eternizada
A poesia colorindo as calçadas
Sorriso no rosto, meu povo é mais feliz
Futuro, qualidade, educação
Exemplo de modelo à nação
Águia guerreira, um ato de amor
Curitiba é sinfonia genial
que vai brilhar, no palco no meu carnaval

Lá vem Nenê, segura que eu quero ver
Meu samba vai levantar poeira
É o lado leste sacudindo a avenida
A vila exaltando Curitiba
 
 
Análise do Samba

Uma das escolas mais tradicionais da cidade de São Paulo e uma das mais respeitadas por sua história, carnavais e sambas com certeza é a Nenê de Vila Matilde que marcam gerações de sambistas e com certeza você conhece pelo menos um samba da escola. Atualmente a escola vem fazendo bons sambas, mas alguns não unanimidades entre os sambistas, mas destaco dois sambas que até hoje está na minha memória atual que é 2013, sobretudo o ano de 2015.

Em 2017 a Nenê de Vila Matilde irá falar da cidade de Curitiba e há aquelas pessoas que sempre ficam com o pé atrás quando o enredo é CEP, (Cidade, Estado e País), por ser ultrapassado ou pela falta de criatividade que há nesses enredos, sobretudo na composição do samba que ultimamente divide opiniões, mas tem sambas recentes que marcou como por exemplo Tom Maior ao cantar Foz do Iguaçu ou Vai-Vai ao cantar França.

Sobre a letra deste samba da Nenê eu encontrei palavras e/ou versos que geralmente há em sambas com enredo CEP, sendo eles recentes ou antigos. Porém não dou a culpa ao time de compositores que fez um bom trabalho e acredito que atualmente seja difícil escrever sambas que retratam uma cidade de forma única e com inovação, mas é um samba que poderá levar nota dez dos jurados oficiais por seguir exatamente a sinopse e por ter uma melodia perfeita, sendo uma das melhores do CD de sambas enredos, mas ao vivo funcionou da mesma forma. 

Voltando a letra do samba o que talvez mais me aperreia é o trecho "Futuro, qualidade, educação. Exemplo de modelo à nação". E por que? É o que mais vemos em sambas de enredo, sem falar que outros sambas incluem saúde, esporte, arte e cultura de uma forma direta, mas pelo que eu já compreendi saõ regras para que o samba no fim tenha a nota máxima na apuração.

Falei acima da melodia que é uma das mais espetaculares que ouvi e isso ajuda bastante para cantar o samba. Nos vocais temos Agnaldo Amaral que a cada ano vem se destacando e dando identidade na escola. Gosto de suas interpretações por entoá-las com força e dar vida para boa parte dos versos, mas só vi poucos momentos em que não o compreendi na sua interpretação.



segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Águia de Ouro



“Amor com amor se paga. Uma história animal”


Compositores: Douglinhas, Juca, Pelezinho, Ivanzinho, Cuca e Fernandinho SP
Interpretes: Douglinhas e Fernandinho SP




Amanheceu, já clareou
Sou um apaixonado na Avenida
Que verdadeiramente te ama
E não te faz sofrer
Se um dilúvio acontecer eu não te esqueço
Como te esqueceu Noé
Perdido em Torre de Babel
Mas sempre estarei com você
Arteiro de grandes histórias
Na tela do cinema emociona
Estrela…que inspira
E sua calçada da fama no meu Carnaval

Faz a criançada gargalhar
Ao ver o vilão fracassar
Herói tão valente
E muito engraçado
Atração do desenho animado

Hoje…A minha Águia vem pedir
Pra humanidade refletir
É um novo tempo um novo olhar
Picadeiro não é mata e nem piscina é oceano
Como faz Luísa Mell
Defendam todos animais
Protejam esses companheiros
Que guiam, socorrem,
E que se arriscam por nós
São anjos mandados por Deus
Que clamam um futuro melhor

Alma de artista
Dama ou vagabundo
Amigo do mundo
Seu olhar afaga
Namora a lua no meu barracão
Amor que não se acaba
 
 
Análise do Samba

No ano passado a escola Águia de Ouro teve um dos três melhores sambas, assim como teve bons sambas em 2014, 2011, sobretudo em 2013 que é um daqueles sambas que para mim não morreu na quarta-feira de cinzas e até hoje eu ouço, ou seja, sabemos que a escola ultimamente tem um dos melhores conjuntos de sambas compostos, mas o que aconteceu nesse ano de 2017?

O enredo da escola é um dos meus favoritos e que me deixa com muita expectativa que é falar sobre o cachorro, o melhor amigo do homem, das crianças e o animal doméstico mais adotado no mundo. Para falar deste enredo a Águia de Ouro contou com um samba encomendado, sem a realização de eliminatórias e para isso contou com um time de seis compositores, entre eles os interpretes e o mestre de bateria.

Pois bem, muitos que acompanham o mundo do carnaval paulistano devem ter reparado nas redes sociais um certo tom negativo ao samba por achar que a letra é ruim e que a melodia não casou e repudiaram tanto que de fato alguns poucos chegaram até a desrespeitar a escola, deixando morrer na memória sambas de anos recentes como citei no início do texto.

Sobre a letra do samba que chamou a atenção de tantas pessoas não é nota mínima como muitos julgam, por ver que há trechos que mostram uma mensagem de proteção animal, sobretudo o cachorro como é dito no final da segunda estrofe e achei bonito. O que me deixou a desejar na letra do samba são os dois refrões, sobretudo o segundo que não achei totalmente criativo, no caso eu colocaria nesse trecho se possível a causa animal afim de protegê-lo como se fala no final segunda estrofe. A primeira estrofe também acredito que não aconteceu essa criatividade que sempre se espera nos sambas da Águia de Ouro. No início da segunda estrofe refere-se aos animais em geral, mas até aí tudo bem, mas incluir Luísa Mell e associar a frase "Defendam todos animais" não achei tão justo por ter tantas pessoas ligadas a proteção animal.  Acredito que se trocasse por São Francisco de Assis e colocasse trechos da passagem ou de sua oração poderia ter caído com uma luva.

Nos vocais do samba temos Douglinhas e Fernandinho SP. Ambos fazem uma boa dupla e parecem ser apenas um por conta da semelhança da própria voz, mas somente achei que em trechos não deram aquela vida ou a interpretação para algumas palavras.



sábado, 14 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Gaviões da Fiel



“Com as mãos e a garra de um povo sonhador, surge o contraste de uma nova metrópole – Sampa, lugar de sonhos, 
oportunidades e esperança”


Compositores: Moraes, Lubé LK, Renato do pandeiro, Edmílson, Rogério, Maurição, Gledão, Vini
Interprete: Ernesto Teixeira




Eu vim de longe pra mostrar meu valor
Trago esperança e amor dentro do peito
Acreditei, venci nesse chão
E tenho orgulho de ser gavião

No afã de mudar meu destino
Feito menino viajei
Com a alma repleta de saudade
A dura realidade enfrentei
Pai..O filho fiel nunca teme a queda
A fé foi acalanto nessa terra
Não sucumbi às adversidades
Sangue, suor, mãos calejadas
Com meus irmãos em tantas jornadas
Guerreiros de muitas batalhas sofridas
Nos trilhos, a luz de uma nova vida
Plantei os meus sonhos nesse lugar
Pra garoa abençoar

Na humildade lutei com braço forte
Ouvindo meu coração, me lancei à sorte
Tenho a garra de um gavião
Sou o retrato da nação

Ajudei erguer arranha-céus
Dei asas pra novos sonhos, cumpri meu papel
Hoje sou o espelho que reflete em cada ser
A chama que clareia um novo amanhecer
Nesta saudosa maloca criei raiz
Vejo a mistura perfeita desse país
Sou brasileiro vem provar do meu tempero
Meu swing é verdadeiro faz a festa Ritimão
Em preto e branco escrevi a minha história
De campeão!
 
 
Análise do Samba

Uma das escolas de samba que mais consegue levantar um público no sambódromo é a Gaviões da Fiel que traz consigo uma torcida apaixonada não só pela escola, mas pelo time, o Corinthians que é sempre lembrado nos desfiles seja por uma alegoria ou pelo samba, mas não que o time é exaltado em nome na letra e sim há uma alma e uma sensação que se diz "somente quem é sabe".

A Gaviões da Fiel contará a história dos migrantes brasileiros, com foco de pessoas que vem de longe para buscar uma vida melhor na Terra da Garoa, ou seja, na cidade de São Paulo, porém com abrangência na região metropolitana. Sendo assim um dos meus enredos favoritos por ser a história que tem a ver com muitas pessoas que moram nessa região e pode ter boas lembranças com a sua história ou de seus pais ou de amigos que vieram do Norte, Nordeste, Centro-Oeste para realizar o sonho em um lugar longe.

A letra faz muito bem a descrição do enredo e de toda sua sinopse, e não deveria ser uma tarefa tão difícil até pelo tema estar muito vivo na memória de tantas pessoas. A letra em sua totalidade é uma bela poesia e mostra passo a passo desde a vinda do migrante, execução de objetivos e suas vitórias. A letra tem duas estrofes maravilhosas e espero que "não morram" depois da quarta-feira de cinzas. Único ponto, quer dizer, único décimo é o segundo refrão que optaria por um outros versos, sem alterar o fundamento.

Apesar da bela letra que tem a melodia não conseguiu acompanhar totalmente. Se analisarmos da metade pro fim da primeira estrofe e da metade pro fim da segunda estrofe há um declive não tão brusco, mas que para mim é levemente descaracterizado e culminou um pouco na interpretação do Ernesto Teixeira que está há tantos anos na escola. Ernesto é um dos nomes mais respeitados do carnaval paulistano, mas na minha opinião há alguns anos não o vejo com toda aquela maestria como era nos anos 90 e nos anos 2000 e acredito que possa haver algum desgaste que é normalíssimo.



Anitta é capa da Revista Boa Forma de Janeiro de 2017




A cantora Anitta de 23 anos sem dúvidas é uma das artistas brasileiras mais seguidas e amadas do Brasil com suas músicas, clipes, shows e também sua boa forma, tanto que ela foi convidada para realizar um ensaio e dar suas dicas para a Revista Boa Forma deste mês de janeiro.

E o que a Anitta faz para manter a boa forma? Uma reeducação alimentar parecida com a dieta Mediterrânea (ela pode comer de tudo, desde que nas quantidades certas). O resultado veio rápido: em sete meses, ela perdeu quase 8% de gordura corporal e ganhou 2,2 quilos de massa magra.






sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Glória Maria é capa da Revista WOW



A Revista WOW me faz lembrar a TOP por conta do conceito de capas, porém ambas fazem um bom trabalho e é o que vemos na edição de janeiro com a apresentadora Glória Maria que está exibindo seu belo sorriso numa capa de ótimo gosto.


Marina Ruy Barbosa é capa da Revista TOP



Uma das mais belas mulheres da atualidade, a atriz Marina Ruy Barbosa é capa da Revista TOP que assim que chegou ao holofotes vem se destacando pelo ótimo trabalho de capas.



quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Dragões da Real



“Dragões canta Asa Branca”


Compositores: Thiago SP, Turko, Leo, R. Malva, Rodrigo Atração, Renne Campos, Alemão da Ilha, Paulinho Miranda e Tigrão
Interprete: Renê Sobral




Vem forrozear
Que o sanfoneiro vai tocar
Meu samba em forma de oração
Eu sou Dragões
É Asa Branca embalando gerações

De tanto oiá o sol queima a terra
Feito fogueira de São João
Puxei o fole, embalado me inspirei
O aperreado coração aliviei
De joelhos para o pai, pedi
Com os olhos marejados, senti
Tanta tristeza brotar desse chão rachado
Perdi meu gado, farta água pra danar
Eita seca que castiga meu lugar

Vou me embora seguir meu destino
Sou nordestino arretado, sim senhô
E na bagagem trago o sonho de vencer
Oh Rosinha, sem ocê não sei viver

Ê saudade que invade o meu coração
Das cantigas, folclore, cultura
Dos temperos que lembram meu chão
Espero no céu, o relampejar
A chuva cair, o pranto secar
Seus olhos hão de refletir
O renascer da plantação
Não chore não, viu
Que eu vortarei, viu
Pro meu sertão


Análise do Samba

Passamos alguns anos acostumados a ouvir aos sambas da Dragões da Real na voz do Daniel Collête que esteve na escola desde que chegou ao grupo especial em 2012. Para quem acompanha carnaval de São Paulo houve muitas mudanças de integrantes e uma que mexeu muito foi essa troca do interprete oficial que estava "tatuado" em nossos ouvidos a voz de Collête e quem está no seu lugar é nada mais do que Renê Sobral que é um dos mais aclamados da cidade de São Paulo, inclusive é o grande favorito entre os sambistas por causa da sua voz de potência única e uma boa dicção nas notas.

Em 2017 a escola cantará "Asa Branca", famosa música do Rei do Baião, Luiz Gonzaga e o grande desafio da Dragões da Real era encontrar um samba que modificasse a letra original e colocar outras palavras, mas sem fugir do contexto da canção. Era um desafio que eu mesmo estava esperando muito e ao ler a sinopse verifiquei o quanto foi inteligente a descrição, ou seja, seria menos complicado desvincular a canção que dá origem ao enredo, basta o compositor ter o dom e saber usar as duas pontes que era "Asa Branca" de Gonzaga e a "Asa Branca" da Dragões.

Deu certo? Sim. Temos então uma letra bem composta e o time de compositores foi grande, sendo no total nove, porém a letra em si não dei nota dez por conta das estrofes que ainda acho que não chegou a perfeição que foram os refrões, como se eu tivesse descontado 0,05, ou seja, muito pouco.

A melodia do samba é riquíssima e criativa. Ao ouvirmos a bateria do Mestre Tornado também é possível ouvir a sanfona que caracteriza bem o enredo e a letra do samba e sinceramente não vejo problema na inclusão de instrumentos diferentes, mas desde que encaixe bem que foi o caso deste samba.

Dando voz ao samba como disse no começo do texto, temos como interprete Renê Sobral que estou aos poucos acostumando com ele na Dragões da Real. Obviamente Renê mais uma vez foi muito bem, soube dar vida, significado e identidade a cada palavra, verso, refrão e estrofe do samba.



Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Unidos de Vila Maria



“Aparecida, a Rainha do Brasil. 300 anos de amor e fé no coração do povo brasileiro”


Compositores: Leandro Rato, Zé Paulo Sierra, Almir Mendonça, Vinicius Ferreira, Zé Boy e Silas Augusto
Interprete: Clóvis Pê




Aos teus pés vou me curvar
Senhora de aparecida
A prece de amor que nos uniu
Salve a rainha do Brasil

Pedi aos céus
Para iluminar essa jornada
Seguir com fé na caminhada
Santa aparecida dessas águas
Fez a nossa rede prosperar
Virgem Conceição imaculada
Os teus feitos vão se revelar
Num choro incontido
O nó na garganta
A história marcada em devoção
Jóia da princesa pra te coroar
Presente que acalanta o coração

Oh senhora, oh senhora
Reluz teu manto azul bordado em ouro
A benção de viver a tua glória

Milagre
É lindo ver o povo venerando
Pagando promessas em oração
Negra mãe, divina liberdade
Do impossível és a salvação
O cortejo vem te receber
E eu já posso ouvir a cantoria
É gente abraçada a chorar
Vila Maria abençoada vem pedir
Pátria mãe gentil
Não deixa de exaltar a padroeira
Pro bem do meu país
Nos dê a paz bendita e verdadeira 


Análise do Samba

Chegou a vez de avaliar o samba que chegou a ser meu favorito com uma certa força, isso porque era bem recente e ainda não tinha conhecido aos demais sambas. A Unidos de Vila Maria fez um ótimo trabalho nas eliminatórias, tanto que as concorrentes estavam fazendo sambas de iam dos mais corretos e aos que mais emocionavam e aqueles que emocionavam e estava correto, ou seja, adequado com a sinopse que foi o que aconteceu com o samba deste ano.

Para quem conhece a história de Nossa Senhora de Aparecida e tem noção de composição de samba, acredito que para você que está lendo aqui teria até uma facilidade de escrever o samba junto a um time de compositores e acho que a escola sabia que muitos sambas poderiam chegar então o trabalho de explanação e a determinação de normas foi bem estruturada.

Eis que este samba composto por seis sambistas foi o grande vencedor e o resultado ficou muito bom. A letra tem uma sintonia perfeita com a sinopse. Em todo seu conteúdo gosto do primeiro refrão que é muito marcante que após a primeira ouvida já fica na mente e é difícil de esquecer. A melodia é contínua, arrasadora e explosiva, sendo que havia uma grande expectativa do que seria a melodia por conta do enredo ser sobre Nossa Senhora e espera-se que ao vivo tenhamos instrumentos tradicionais em cultos católicos que se ajeitar bem ficará muito bonito e temos alguns bons exemplos e que deram muito certo.

Interpretando o samba temos Clóvis Pê que há anos vem nos brindando com ótimos sambas e deixando uma marca única nas suas entoações, mas não senti ouvindo pelo CD o termo "interpretação", ou seja, dar vida a algumas palavras ou em versos, com exceção dos dois refrões.




quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Carnaval de São Paulo 2017 | Análise de Samba: Vai-Vai



"No xirê do Anhembi, a Oxum mais bonita surgiu - Menininha, mãe da Bahia - Ialorixá do Brasil"


Compositores: Edga Cirillo, Marcelo Casa Nossa, Dama da Vai-Vai, André Ricardo, Rodolfo Alves e Leo Rocha
Interprete: Wander Pires




Ora yê yê oxum
Vem nos abençoar
A Bela Vista hoje vai cantar
Bate cabeça, abre a roda pra saudar
Mãe menininha do gantóis

Ê laroiê
Abra o caminho pro Vai-Vai passar
A energia que emana do orun
Meus versos no acalanto de olorum
E no ayê Rufam atabaques no xirê
A roda gira no ilê na força do candomblé
Vem da Bahia o seu axé
E lá das matas o brado ecoou
Oxossi o caçador... Okê arô

Xangô kaô kabecilê
Eparrêi oyá obá siré, obá
Ogunhê meu pai ogum

A linda estrela está por lá
Ilumina o terreiro do gantóis
Iaô ô iaô que lindo arco íris que oxumaré pintou
Seguindo o caminho que a mãe sempre quis
Na força, na fé e na mesma raiz
Um mar de oferendas pra te exaltar... Odô iá!
Eu vou lavar a alma nas águas de oxalá
E sinto que o amor resplandeceu
O bem e o dom que deus lhe deu 


Análise do Samba

Historicamente a escola de samba Vai-Vai nos presenteia com sambas memoráveis e acredito que quem é fã da escola e do carnaval paulistano tem na memória sambas dos anos 80, 90 e dos anos 2000. Recentemente a escola segue seu padrão de composição realizando lindas obras, mas com alguns que fogem a sua filosofia ou a sua marca que foi no caso ano passado que teve um samba diferente de outros carnavais. Quando o tema é afro, sobretudo com escolas de samba como a Vai-Vai sabemos que o quesito samba virá muito bem.

Para quem acompanhou as eliminatórias de samba enredo da Vai-Vai sabe que este samba desde que foi apresentado como o Samba 8 passou a ser a favorita e conforme avançavam as fases das eliminatórias este samba crescia de uma forma visceral, sendo assim sagrada a grande escolhida com toda a justiça.

É um dos grandes sambas enredo do Carnaval paulistano de 2017, sendo totalmente gabaritada nas minhas análises fechando com 40 pontos. A letra é uma poesia lúcida e mostra claramente onde quer chegar e mostra exatamente o foco do seu enredo que está de pleno acordo e adequado com o que eu li na sinopse. Atenção ao primeiro refrão que é muito bonito e de uma melodia espetacular capaz de nos fazer sambar sempre quando ouvirmos. A segunda estrofe segue o mesmo caminho de uma perfeita obra de poesia e inspiração do time de compositores.

Quem comanda no canto é Wander Pires que é conhecido como um dos melhores interpretes de samba enredo do Brasil e ele de fato interpretou com toda maestria esse samba que ao vivo é ainda mais bonito e me faz acreditar que esse samba será imortalizado por muitos anos, sobretudo se a Vai-Vai sagrar campeã ou se fizer simplesmente um desfile marcante mesmo perdendo o título.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...