Buscapé

http://links.lomadee.com/ls/Mk5KNDt4cUtUTGNTejsyNzgzNjY0OTswOzE3NjszMzU5OTQ4NjswO0JSOzM7OzA-.html

Facebook

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Especial 30 Anos | O que é? Como vai funcionar?


Vem ai o Especial 30 Anos


O que é?

Bom, para quem sabe eu nasci no ano de 1986 e nesse ano completarei 30 anos de idade. Por conta disso resolvi fazer algumas listas baseado no que eu curti nesses anos todos. Tive essa ideia no ano passado e partiu de uma pessoa que fez também 30 anos e fez listas referentes a coisas que mais gostou de ver em sua vida, nesse mesmo ano há uma outra pessoa famosa que a princípio tem a mesma ideia que eu.


Como vai funcionar?

Estas listas terão como foco música, TV, cinema, games e entre outras coisas que eu gosto de acompanhar na cultura em geral. Cada foco terá diversas facetas com o por exemplo em músicas farei listas dos melhores cantores, cantoras, grupos, discos e canções e assim com os demais focos.

Cada lista que eu postar aqui no blog será colocado os 10 melhores, parece pouco, mas em 30 anos é melhor destacar aquilo que de fato mais me chamou a atenção.



terça-feira, 23 de agosto de 2016

Jornal inglês Daily Mail elege escudo do São Paulo como mais belo do mundo - Veja Top 20


Em lista publicada no dia 23 de agosto, o jornal inglês Daily Mail elegeu o escudo do São Paulo como o mais bonito do mundo com a justificativa "encantador e moderno".

O distintivo da equipe paulista aparece na 1ª posição de um ranking de 20 times organizado pela publicação, e é elogiado por seu "design moderno".  

"Em 1º lugar, vamos com o escudo do São Paulo, porque apenas um monstro não elogiaria seu design encantador e moderno", diz o Daily Mail.  

Aos leitores que não conhecem o clube do Morumbi, o diário ainda explica o motivo do time paulista ter cinco estrelas no topo do símbolo.  

"Na camisa, o São Paulo tem cinco estrelas, duas douradas e três vermelhas. As douradas representam os recordes mundiais e olímpicos de Adhemar Ferreira da Silva. As vermelhas são pelos títulos mundiais vencidos pelo São Paulo", escreve.  

No ranking, o distintivo da equipe tricolor ficou à frente de outros clubes famosos, como Roma, Liverpool, PSG, Valencia, Colo Colo, Juventus e Ajax.


Veja Top 20 abaixo:




The Moment Music - Top 20 (ed. 413)


No The Moment Music dessa semana continua na liderança pela terceira vez a cantora Grace com a canção You Don't Own Me e tem como sombra Me Too de Meghan Trainor.


 
( 1 ) You Don't Own Me - Grace [ = ] | 11 semanas | PP:1 [3X]

 




 
( 2 ) Me Too - Meghan Trainor [ = ] | 3 semanas | PP:2
 





 
( 3 ) Send My Love (To Your New Lover) - Adele [ = ] | 9 semanas | PP:1 [4X]
 





 
( 4 ) H.O.L.Y - Florida Georgia Line [ = ] | 3 semanas | PP:4
 





 
( 5 ) Not Today - Imagine Dragons [ +10 ] | 2 semanas | PP:5

 




 
( 6 ) Body Say - Demi Lovato [ +1 ] | 3 semanas | PP:6
 





 
( 7 ) Can't Stop The Feeling! - Justin Timberlake [ -2 ] | 9 semanas | PP:2
 





 
( 8 ) Don't Let Me Down – The Chainsmokers [ -2 ] | 7 semanas | PP:2
 





 
( 9 ) This Is What You Came For - Calvin Harris ft Rihanna [ -1 ] | 5 semanas | PP:5
 





 
(10) Kill 'Em With Kindness - Selena Gomez [ +2 ] | 7 semanas | PP:5

 




 
(11) It Just Happens - Roxette [ -1 ] | 3 semanas | PP:10
 





 
(12) No - Meghan Trainor [ -3 ] | 16 semanas | PP:1 [3X]
 





 
(13) M.I.L.F. $ - Fergie [ -2 ] | 3 semanas | PP:10
 





 
(14) Up&Up - Coldplay [ -1 ] | 7 semanas | PP:7
 





 
(15) One Dance - Drake [ -1 ] | 6 semanas | PP:10

 




 
(16) Into You - Ariana Grande [ +3 ] | 5 semanas | PP:14
 





 
(17) Perfume do Invisível - Céu [ = ] | 3 semanas | PP:17
 





 
(18) Hair - Little Mix [ -2 ] | 14 semanas | PP:1 [3X]
 





 
(19) Work From Home – Fifth Harmony [ -1 ] | 19 semanas | PP:3
 





 
(20) Somewhere Only We Know - Lily Allen [ = ] | 15 semanas | PP:4





domingo, 21 de agosto de 2016

Brasil encerra as Olimpíadas Rio 2016 e tem sua melhor participação em Medalhas de Ouro e também em Total de Medalhas


Foram no total 19 Medalhas, superando os Jogos Londres 2012 quando o Brasil já mostrava uma leve evolução nos seus esportes e para os Jogos Olímpicos Rio 2016 esperava-se um número até superior que tivemos nesses jogos, mas para quem viu vários esportes notou que muitos outros países evoluíram e alguns intensificaram de atletas, tornando a competição ainda mais acirrada e emocionante.

Podemos comemorar e sim as 7 Medalhas de Ouro e acredito que o Brasil entra de vez na seleta lista dos países que será daqui pra frente um país a ser mais respeitado e esperado, mas estamos longe de ser como Estados Unidos, China, Reino Unido, Rússia e Alemanha.

Tivemos nesses Jogos algumas surpresas nesses Jogos como Robson Conceição no boxe e Thiago Braz no salto com vara, pois nada se esperava nesses esportes  e gostei de ter sido surpreendido, mas por outro lado tivemos algumas decepções em esportes que tínhamos reais chances de medalhas ou chances de resultados para bronze ou prata.

Querendo ou não o Futebol Masculino guardava uma expectativa muito grande nas pessoas referente a medalha de ouro e conquistou de forma dramática, sendo uma das mais comemoradas já que nosso país é apaixonada pelo futebol, mas uma pena que a seleção feminina nem com o bronze ficou.

Todas as medalhas devem ser respeitadas e reverenciadas por conta do esforço e do resultado marcante obtido nesses jogos e dou destaque a Poliana Okimoto que foi bronze na maratona aquática e é uma das provas mais intensas que eu já vi e para quem acompanhou sua história soube que foi de extrema importância essa marca. Outro atleta que marcou pela superação e precisava mostrar um bom resultado a si mesmo foi Diego Hypólito na ginástica.

Um atleta que conseguiu uma incrível marca foi Isaquias Queiroz que disputando a canoagem conseguiu conquistar três medalhas, sendo o atleta que mais conquistou medalhas numa só edição.


Abaixo a lista de Medalhas conquistadas pelo Brasil



MEDALHA ATLETA ESPORTE



Ouro
Rafaela Silva
Judô
Ouro
Thiago Braz
Atletismo
Ouro
Robson Conceição
Boxe
Ouro
Martine Grael e Kahena Kunze
Vela
Ouro
Bruno Schmidt e Alison Cerutti
Vôlei de Praia
Ouro Seleção Maculina de Futebol Futebol
Ouro Seleção Maculina de Vôlei
Vôlei



Prata
Felipe Wu
Tiro Esportivo
Prata
Diego Hypólito
Ginástica
Prata
Arthur Zanetti
Ginástica (Argolas)
Prata
Isaquias Queiroz
Canoagem
Prata
Ágatha Bednarczuk e Bárbara Seixas
Vôlei de Praia
Prata
Isaquias Queiroz e Erlon de Souza
Canoagem



Bronze
Mayra Aguiar
Judô
Bronze
Rafael Silva
Judô
Bronze
Arthur Nory
Ginástica
Bronze
Poliana Okimoto
Maratona Aquática
Bronze
Isaquias Queiroz
Canoagem
Bronze
Maicon Siqueira
Taekwondo




Seleção Masculina de Vôlei conquista a medalha de Ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos


Foi por 3 sets a 1, mas não pensem que o jogo foi fácil para conquistarmos mais uma medalha de ouro. Na minha opinião a seleção italiana era até um pouco melhor, mas não aguentou toda a pressão no Maracanãzinho lotado e viu o Brasil numa tarde inspirada e garantiu mais uma medalha de ouro para nosso vôlei.


A volta dourada no tempo estava programada para 2004. Era aquela cor de medalha que o Brasil queria repetir depois da prata em Pequim 2008 e Londres 2012. Remanescente da geração de Atenas, Serginho, de 40 anos, foi convencido a deixar a aposentadoria e emprestar um pouco daquele espírito à seleção da Rio 2016. Inspirada pelo veterano, a equipe coroou a recuperação olímpica diante de um Maracanãzinho lotado. Conseguiu se impor e fez a torcida lembrar dos velhos e bons tempos, vencendo a Itália por 3 sets a 0 (25/22, 28/26 e 26/24).



As medalhas douradas de Barcelona 1992 e Atenas 2004 ganharam companhia. O resultado pôs fim também a um longo e incômodo jejum. Até então, o último título havia sido conquistado no Mundial da Itália, em 2010.


Campanha do Brasil:

07/08 - Brasil 3 x 1 México
09/08 - Brasil 3 x 1 Canadá
11/08 - Brasil 1 x 3 EUA
13/08 - Brasil 1 x 3 Itália
15/08 - Brasil 3 x 1 França
17/08 - Brasil 3 x 1 Argentina
19/08 - Brasil 3 x 0 Rússia
21/08 - Brasil 3 x 0 Itália




sábado, 20 de agosto de 2016

Seleção Brasileira de Futebol Masculino conquista pela primeira vez a Medalha de Ouro em Jogos Olímpicos


Acredito que foi um dos maiores jogos que eu já vi da Seleção Brasileira de Futebol em anos, mas sei que se trata de um sub-23 e que o torneio olímpico não era de grande nível, mas toda a novela criada para que esse ouro chegasse mostrava toda uma expectativa para um final feliz.

Pra começar o Brasil no Futebol Masculino jamais havia conquistado uma medalha de ouro em várias participações que já fez em Jogos Olímpicos, outro fator foram as derrotas que acumulou nesses anos e algumas delas sendo derrotas difíceis de acreditar, sem falar que o torneio era aqui no nosso país, mas o tempero especial era o adversário, a toda poderosa Alemanha, mas também somo poderosos, mas o placar de 7x1 na Copa do Mundo ainda assombrava e muitos viam esse jogo como uma revanche.




O Maracanã avisou que a hora chegaria, e ela veio. Não a da Alemanha, mas do próprio Brasil. A alegria é a melhor vingança. Dois anos depois de seu maior vexame, a Seleção conquistou o título que lhe faltava diante do algoz da Copa do Mundo de 2014. A Olimpíada é nossa, a medalha de ouro, também. Depois de empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, Weverton foi heroico nos pênaltis (5 a 4) e garantiu a vitória que não representa uma revanche, mas uma conquista histórica e o fim de uma espera de décadas.






Revista Boa Forma de Agosto estampa na capa Giovanna Antonelli


A atriz Giovanna Antonelli de 40 anos é a capa da revista Boa Forma de agosto. A bela atriz está vestindo biquíni e um casaquinho de tricô. Giovanna, que emendará mais um papel principal, a Alice, de Sol Nascente, próxima novela das 6 da Globo.




sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Alison Cerutti e Bruno Schmidt conquistam o quinto Ouro no Time Brasil pelo Vôlei de Praia nos Jogos Olímpicos


Uma das modalidades de maiores esperanças de muitas medalhas, sendo elas a de ouro chegou hoje com a dupla masculina de Vôlei de Praia Alison Cerutti e Bruno Schmidt em um jogo de grande superação, determinação com direito a grandes viradas. A dupla venceu os italianos Nicolai e Lupo debaixo de uma chuva fina que ora aumentava.



Assim que foram apresentados pelo locutor em quadra, Alison Cerutti e Bruno Schmidt levantaram a galera. O Mamute abriu os braços e pediu apoio. O público foi ao delírio e correspondeu. Parecia um estádio de futebol. Parecia um caldeirão. E nem a chuva que caía forte na Arena de Vôlei de Praia, em Copacabana, no início da madrugada desta sexta-feira, foi suficiente para esfriar o calor e a energia que emanavam dos donos da da casa na decisão contra os italianos Nicolai e Lupo.



E foi nesse clima que o Brasil ganhou mais dois novos campeões olímpicos. Com o placar de 2 a 0, parciais de 21/19 e 21/17, na raça e no coração, o capixaba e o brasiliense garantiram a medalha de ouro nas areias de Copacabana.


Trata-se da segunda medalha de ouro olímpica do Brasil no vôlei de praia masculino. A primeira foi há 12 anos, quando Ricardo e Emanuel venceram.

Sendo assim o Brasil registra sua melhor participação nos Jogos Olímpicos com 5 medalhas de Ouro também conquistadas em Atenas, porém em 2016 a quantidade de medalhas de Prata já é maior, todavia há chances de mais medalhas de ouro aparecer.



quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Martine Grael e Kahena Kunze da Vela conquistam a quarta Medalha de Ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos


O Iatismo ou Vela é uma das modalidades esportivas que mais trazem medalhas para o Brasil em Jogos Olímpicos, sendo eles algumas medalhas de ouro como foi nesse dia 18 de agosto com a dupla brasileira Martine Grael e Kahena Kunze na classe 49er FX feminina da vela. Após ganhar os dois eventos testes, dupla brasileira vence outra competição na Baia de Guanabara e mantém escrita: desde 1996 o Brasil sobe ao pódio no esporte.



Em uma categoria marcada pelo equilíbrio, com quatro duplas chegando à decisão com chance de título, Martine e Kahena fizeram valer o fator casa. Depois de vencerem os dois eventos-teste que foram realizados na Baía, em 2014 e 2015, chegaram ao dia decisivo empatadas com os barcos da Dinamarca e Espanha. e um ponto à frente das neozelandesas. E a vitória do ouro, disputada na raia do Pão de Açúcar, veio por uma diferença de apenas dois segundos. Para celebrar? Mergulho coletivo nas águas criticadas e que geraram apreensão durante todo o ciclo olímpico. A prata ficou com a dupla da Nova Zelândia, Alex Maloney e Molly Meech, o bronze para as dinamarquesas Jena Hansen e Katja Steen Salskov-Iversen.



A conquista garantiu ao Brasil uma sequência importante na vela: desde 1996 que o país conquista pelo menos uma medalha no esporte. Foi ainda um ouro de duas famílias muito ligadas às águas. Martine é filha de Torben Grael, bicampeão olímpico, dono de cinco medalhas - duas de ouro, uma de prata e duas de bronze - e coordenador técnico da equipe brasileira de vela. Somando os dois bronzes do tio Lars Grael, já são oito medalhas olímpicas em casa. Já o pai de Kahena é Cláudio Kunze, campeão mundial júnior da classe Pinguim.



terça-feira, 16 de agosto de 2016

Robson Conceição conquista a terceira Medalha de Ouro para o Brasil pelo Boxe nos Jogos Olímpicos



Mais um atleta conquistou mais uma Medalha de Ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016 e dessa vez veio com o boxeador Robson Conceição de 27 anos, natural do estado da Bahia. O brasileiro lutou contra o francês Sofiane Oumiha e venceu por decisão unânime e garantiu a terceira medalha de ouro de forma imponente, no Riocentro.




Para completar seu sonho, foram quatro lutas: Além da final, ele venceu Anvar Yusunov, do Tajidquistão, em sua estreia; bateu Hurshid Tobaev, do Uzbequistão, garantiu passagem para a semi e, consequentemente, o bronze; e na penúltima luta superou o cubano Lázaro Álvarez, tri mundial e líder do ranking, para assegurar a prata.



Na luta contra o francês Sofiane Oumiha o nosso boxeador Robson Conceição conseguiu imprimir bons golpes no primeiro round saindo vencedor. No segundo round ele mostrou ainda mais do que pode fazer em uma luta que foi quase equilibrada. Sabendo que tinha vencido os dois primeiros rounds, bastou apenas assegurar e se defender com precisão no terceiro e ultimo round.



Morre a atriz Elke Maravilha no Rio de Janeiro aos 71 anos


De G1

Morreu no Rio de Janeiro, no início da madrugada desta terça-feira (15), a atriz Elke Maravilha. Ela estava internada na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras, na Zona Sul, desde o dia 20 de junho.

De acordo com seu irmão, Frederico, Elke, de 71 anos, foi operada de uma úlcera e ficou em coma induzido. A atriz morreu por volta de 1h.

Antes de ser internada Elke vinha se apresentando pelo país com o espetáculo "Elke Canta e Conta", onde falava de passagens de sua vida desde a infância na Rússia,  os casamentos, a vida como modelo e apresentadora.

Nascida na Rússia, Elke veio ao Brasil ainda criança. Passou seis dias presa durante o regime militar por desacato após rasgar um cartaz de procurado com a foto do filho da estilista Zuzu Angel, para quem desfilava.

Foi modelo, secretária, bibliotecária, bancária, atriz, professora, tradutora. Casou-se várias vezes, já disse ter feito aborto, foi rainha de associação de prostitutas no Rio, estrela do cinema e viveu a vida intensamente.



Thiago Braz, atleta do Salto com Vara garante a segunda Medalha de Ouro para o Brasil nos Jogos Olímpicos


Acredito que poucos o conheciam e que ninguém imaginava que o jovem atleta Thiago Braz de apenas 22 anos nos surpreenderia na noite do dia 15 de agosto com uma medalha de ouro no Salto com Vara nos Jogos Olímpicos Rio 2016.



Na  noite desta segunda-feira, Thiago Braz conquistou a medalha de ouro no salto com vara e ainda conseguiu quebrar o recorde olímpico, com uma altura de 6,03m. A marca estabeleceu o novo recorde olímpico e surpreendeu não apenas o francês Renaud Lavillenie, ex-campeão olímpico e atual campeão do mundial indoor, que levou a prata, mas o próprio brasileiro, que nunca havia saltado mais que seis metros. A conquista teve doses extras de emoção. O ouro só veio no último salto.



Apenas o brasileiro e Renaud Lavillenie descartaram a marca 5,50m. O francês ainda foi além, abriu sua participação somente a 5,75m - passando sem sustos. Thiago iniciou a 5,65m e mostrou alívio ao passar de primeira. A partir daí, viu o atual campeão mundial Shawnacy Barber, do Canadá, errar suas três tentativas na marca e dar adeus. Aliás, viu que dali em diante só restavam mais seis competidores.

Ao tentar passar pelo sarrafo a 5,75m, derrubou na primeira tentativa. Fosse aquele Thiago Braz que sucumbia diante da adversidade, talvez tivesse travado e se despedido. Mas a nova versão do brasileiro tentou o segundo salto pouco depois e, desta vez, passou.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...